Negociando com fornecedores durante a crise

Todos fomos pegos de surpresa com toda essa crise ocasionada pelo coronavírus, mudando radicalmente as nossas vidas. A questão é que as obrigações não pararam de chegar, prazos e boletos continuam sendo entregues. A crise bateu para todos! Os mais diversos mercados foram atingidos e muitos empreendedores estão buscando soluções para honrarem com seus compromissos. Por isso é possível sim sentar e conversar com seus fornecedores e parceiros para discutir sobre algumas negociações. Existem algumas estratégias atreladas a consultoria do contador, que podem ser colocadas em prática de forma estratégica. Será mais fácil negociar com seus fornecedores com números relevantes para se basear. Vamos abordar algumas técnicas que você poderá utilizar para negociar com os seus fornecedores neste período. Confira! Negociações específicas Em momentos difíceis você deverá respirar fundo, analisar o seu custo de oportunidade, s e ao negociar com o seu fornecedor, optar pela melhor escolha para ambos. Afinal, seu fornecedor é parte importante do seu negócio também. Por isso, você precisa ponderar quais gastos serão priorizados antes de abrir uma negociação com seu fornecedor. Após identificar, atente-se aos principais pontos, que necessitam de uma atenção redobrada, quando você for utilizar o seu poder de escolha ao negociar com seus fornecedores: Contratos com Instituições Financeiras O Banco Central autorizou os demais bancos a realizarem planos que possibilitem renegociação de empréstimos para micro e pequenas empresas. Fique atento com o seu banco e verifique se há alguma flexibilização para linhas de crédito. Contrato Serviços Essenciais De acordo com a PL 659/2020 que visa isentar micro e pequenos empresários, além de consumidores residenciais, de pagamentos de tarifas referentes à energia elétrica, sanitário, esgotamento, serviço de água. Vale ressaltar que serviços de telecomunicações (internet, telefonia móvel e fixa) e gás também são serviços essenciais e também não poderão ser interrompidos. Contrato de Aluguel Comercial Segundo o artigo 18 (Lei do Inquilinato), é possível que haja um novo acordo entre ambas as partes e que se estabeleça uma nova mensalidade para que, dessa forma, os impactos da crise sejam minimizados. Assim, inquilino e proprietário do imóvel reduzirão seus prejuízos nessa crise. Renegociação amigável O momento requer bom-senso de ambas as partes que estão negociando. Para que uma renegociação de algum contrato vigente precisa ser feita, é preciso jogar limpo e expor toda a situação que está sendo atravessada.Nunca se esqueça que a dificuldade enfrentada pela sua empresa, também está sendo enfrentada por tantas outras (inclusive com quem você está negociando). Selecione muito bem o fornecedor que precisa de uma negociação, pois ela precisa fazer sentido para ambas as partes e não apenas aproveitar o momento de fragilidade para reduzir os seus custos. Se o outro lado da negociação não sentir verdade nos seus argumentos e números, você pode perder a confiança. Separe todos os seus argumentos e pontue suas necessidades para manter a parceria. Em casos extremos, é preciso conversar.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo